Hey, psiu! Nossa página no facebook mudou, clique aqui para curtir a nova.

''Era apenas importante reconhecer os criadores desta terra'' Taboo em reportagem para revista VICE



Recentemente a revista canadense VICE fez uma reportagem sobre os protestos que aconteceram contra a criação de um oleoduto no estado da Dakota da Norte, Estados Unidos. Traduzimos alguns trechos da reportagem que conta com a participação do Taboo e outras pessoas que estavam no local. Confira abaixo:

Cerca de 2.000 veteranos se juntaram aos manifestantes com o objetivo de reforçar sua linha de frente. É a mais recente demonstração de apoio à causa, que reuniu pessoas de todo o país e ajudou a reunir as comunidades indígenas da América do Norte sem precedentes. Nesse sentido, uma coleção de artistas e figuras públicas, a maioria dos quais nativos, estão lançando uma nova canção e vídeo hoje, chamada "Stand Up / Stand N Rock", em apoio ao movimento. Organizado por Taboo do Black Eyed Peas, que tem herança Shoshone, a canção pretende servir como uma ferramenta para promover a consciência, bem como um hino para os povos indígenas em todo o país que se uniram no esforço contra a DAPL.

"Era apenas importante reconhecer os criadores desta terra," Taboo me diz no telefone. "Nós realmente não temos muitas canções que podem atravessar águas internacionais... porque eu sou um 'Black Eyed Pea', eu posso falar com a Alemanha e Japão e México. Eles agora vão perguntar [sobre] o que está acontecendo."

Drezus ficou surpreso com o convite de Taboo para colaborar, que ele e seu filho mais novo viram em um show há quatro anos "voando na p* de uma moto no meio do estádio" como parte de um show do BEP. Mas os dois compartilhavam um objetivo comum na conscientização dos direitos dos nativos, como também levar seus filhos ao movimento. Drezus planeja levar seu filho de dez anos para o acampamento no próximo mês, enquanto Taboo levou seu filho de 23 anos no último fim de semana.

O ativismo de Taboo não deve ser uma surpresa: antigos do hip-hop podem lembrar que quando o BEP começou em meados dos anos 90, Taboo usava penas de águia e pintura de guerra no palco em homenagem às suas raízes Shoshone. Isso mudou uma vez que o grupo encontrou o sucesso mainstream, mas a natureza consciente da banda permaneceu relativamente intacta (embora em forma facilmente digerível). Isto me é confirmado através do relato de Taboo de visitar a linha de frente da DAPL, onde ele sem vergonha perguntou aos oficiais "Onde está o amor?".

"Isso é proteger a terra dos nativos", diz Taboo. "As pessoas estão se juntando porque sabem que é uma injustiça que está sendo trazida para as pessoas que estão defendendo seu direito".

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.